top of page
  • Desalinho

Melhores livros lidos em 2022

Dando continuidade aos melhores de 2022, chegou a vez dos melhores livros durante este ano. Ficção, biografia, mangás e história em quadrinhos compõem a lista.



Nem Sinal de Asas (Marcela Dantés, Patuá, 2021)

O romance de estreia de Marcela Dantés é doloroso, emocionante e bonito. "Nem Sinal de Asas" traz a história de Anja Santiago, uma mulher que passou pela vida e não viveu, tornando-se invisível. Entre bolhas causadas pelo limão, a perda do pai repentina, a mãe racista e o porteiro sem escrúpulos, viajamos por um livro solitário incômodo que nos faz pensar sobre fantasmas e a morte.


Regurgitofagia (Michel Melamed, Bertrand Brasil, 2017)

O Brasil faz parte do escritor, poeta, diretor e ator Michel Melamed. Inclusive, o país é o ponto central de "Regurgitofagia", livro que surgiu após criação e encenação da peça que traz o mesmo nome. O autor mistura teatro, stand-up, poesia e artes plásticas para falar, debater e refletir sobre política e sociedade.


O Corpo Encantado das Ruas (Luiz Antonio Simas, Civilização Brasileira, 2019)

As ruas do Rio de Janeiro são protagonistas do livro, ganhando movimentos e significados. Do centro ao subúrbio, as ruas são cheias de histórias, tramas e manifestações - e "O Corpo Encantado das Ruas" traz muito bem esses assuntos. A obra reivindica a riqueza dos saberes, práticas, modos de vida, visões de mundo das culturas que não podem ser domados pelo padrão canônico. É um livro sobre reexistir, isto é, reinventar modelos de vidas e aflitos, sempre ocupando as ruas.


No Direction Home: A Vida e a Música de Bob Dylan (Robert Shelton, Lafonte, 2011)

Fã de Dylan, o jornalista Robert Shelton acompanhou fielmente a carreira do cantor folk. Foi assim que surgiu o livro que mistura sua vida com sua obra. Escrita com paixão, mínimos detalhes e contextos históricos, "No Direction Home: A Vida e a Música de Bob Dylan" apresenta as diversas facetas de Zimmerman.


O Amor dos Homens Avulsos (Victor Heringer, Companhia das Letras, 2016)

Narrado em primeira pessoa, o livro é um relato que tem o objetivo de resgatar as memórias adolescentes de Camilo, que apresenta o seu primeiro amor, Cosme. Ao revisitar o passado, Camilo relembra o Rio de Janeiro, vive o luto e relembra do amor, a única lembrança boa do mundo.


O Complexo de Portnoy (Philip Roth, Companhia das Letras, 2014)

O clássico de Philip Roth dá vida à narrativa de Alexander Portnoy, advogado neurótico bem sucedido que é incapaz de se livrar da relação paralisante com a mãe.


Cem Anos de Solidão (Gabriel García Márquez, Record, 2009)

Clássico da literatura fantástica, "Cem Anos de Solidão" apresenta as aventuras, milagres, amores e dramas da família Buendía, pessoas que também compõem nossas famílias.


Solidão e Companhia (Silvana Paternostro, Crítica, 2021)

O próprio García Márquez já escreveu sua biografia, mas Silvana Paternostro vai além do óbvio: a partir de depoimentos de dezenas de pessoas como irmãos, parentes, amigos e conhecidos. Silvana tem o objetivo de criar um perfil do escritor colombiano pré e pós lançamento de "Cem Anos de Solidão", que mudou sua vida.


O Massacre da Granja de São Bento (Luis Felipe Campos, Cepe, 2017)

Narrado em um ritmo eletrizante, o livro narra a emboscada e, consequentemente, o assassinato de seis militantes da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR). A obra de Luis Felipe reconstitui os crimes do agente duplo José Anselmo dos Santos, o cabo Anselmo.


O Ano do Pensamento Mágico (Joan Didion, Harper Collins, 2021)

A noite de fim de ano de Joan Didion foi interrompida quando o escritor e diretor John Gregory, seu marido, sofreu um ataque cardíaco fulminante. De um dia para o outro, sem aviso, a escritora precisa aceitar o fim da parceria e o casamento de quarenta anos. Ao narrar o seu luto, Joan revive a perda e o acidente de Quintana, sua única filha.


Chico Science & Nação Zumbi: Da Lama ao Caos (Lorena Calábria, Cobogó, 2019)

A partir de conversas com músicos, parceiros de bandas, familiares e pessoas que fizeram parte da trajetória do álbum "Da Lama ao Caos", Lorena Calábria resgata a atmosfera da época para explicar o significado do Manguebeat e o lançamento do álbum que mudou a música brasileira.


Elke: Mulher Maravilha (Chico Felitti, Todavia, 2021)

Antes de se tornar Maravilha, Elke era apenas Grünupp, uma linda alemã que desembarcou no Brasil aos quatro anos. O livro faz um perfil biográfico completo da musa eterna do glamour, que não tinha medo de se arriscar.


Senhor das Moscas (William Golding, Alfaguara, 2021)

Adaptado duas vezes para o cinema e traduzido para trinta e cinco idiomas, o livro narra a natureza do mal em crianças e o limite entre poder e a violência desmedida. Um soco no estômago do início ao fim.


Retrato de um Viciado Quando Jovem (Bill Clegg, Companhia das Letras, 2011)

Em um relato sincero, cru e doloroso, o agente literário Bill Clegg revive seu passado, narrando o declínio causado pelo vício no crack.


Sobre Pessoas Normais (Marcela Dantés, Patuá, 2016)

A escrita de Marcela é perigosa: além de envolver o leitor do início ao fim, a escritora aborda questões diárias do cotidiano que mexe com a gente. É preciso muita atenção para obter o desfecho dos contos.


Cortázar: Notas Para Uma Biografia (Mario Goloboff, DSOP, 2017)

O autor que foi amigo de Cortázar juntou diversas informações sobre vida e obra para construir o livro. Já nas primeiras páginas é possível perceber a sensibilidade e o viés político de Julio.


Todos os Corpos de Pasolini (Luiz Nazario, Perspectiva, 2007)

Com uma pesquisa completa, Luiz Nazario interpreta e comenta a obra de Pasolini, mostrando que o italiano estava muito a frente do seu tempo.


O Sacrifício (Andrei Tarkovsky, É Realizações, 2011)

O livro traz o roteiro do filme do diretor russo, assim como as imagens maravilhosas do filme.


O Perfume (Patrick Süskind, Record, 2022)


Como Escrever Bem (William Zinsser, Fósforo Editora, 2021)


Sim, Eu Digo Sim: Uma Visita Guiada ao Ulysses de James Joyce (Caetano Galindo, Companhia das Letras, 2016)

Um ótimo guia que passa por todos os episódios do livro emblemático de James Joyce. Assim, "Ulysses" fica um pouco mais fácil para leitura.


Operação Abafa: Predadores Sexuais e a Indústria do Silêncio (Ronan Farrow, Todavia, 2020)

Durante dois anos, o jornalista investigativo Ronan Farrow investigou os assédios sexuais que centenas de mulheres sofreram de Harvey Weinstein. Entretanto, Farrow descobriu que tantos outros poderosos assediavam mulheres e não passaram por justiça.


Alice no País das Maravilhas (Lewis Carroll, L&PM, 2003)


O Peso do Pássaro Morto (Aline Bei, Nós, 2017)

O primeiro romance de Aline Bei é denso, violento e poético sobre a vida de uma mulher, dos 8 aos 52 anos, com suas sutilezas as tragédias.


Flush: Uma Biografia (Virginia Woolf, Autêntica, 2016)


O Hobbit (J. R. R. Tolkien, Harper Collins, 2019)


Boa Noite Punpun (Inio Asano, JBC, 2022)

O mangá narra a história de Punpun Onodera, um adolescente que cresce em um ambiente familiar difícil. Em sete volumes, "Boa Noite Punpun" trata de termas como depressão, ansiedade, tristeza e compaixão.


Brasil em Tempo de Cinema (Jean-Claude Bernardet, Companhia das Letras, 2007)

Jean-Claude Bernardet faz a interpretação crítica dos filmes realizados no Brasil entre 1958 e 1966, época do surgimento e da consolidação do Cinema Novo. Além disso, o autor se empenha em mostrar as conexões entre filmes aparentemente díspares e o modo como eles se relacionam com o país em transformação.


A Mulher Calada (Janet Malcolm, Companhia de Bolso, 2012)

Qual é a obrigação do biógrafo? A família pode alterar os dados? Janet Malcolm examina todas as biografias escritoras sobre Sylvia Plath para demonstrar como é tênue o limite entre fato e ficção.


1q84 Vol.1 (Haruki Murakami, Alfaguara, 2012)


Frankenstein (Mary Shelley, L&PM Pocket, 1997)


Grande Sertão Veredas HQ (Quadrinhos na Cia, 2021)

Baseado na obra de João Guimarães Rosa, "Grande Sertão Veredas" ganhou uma edição em quadrinhos pelos brasileiros Eloar Guazzelli e Rodrigo Rosa. Com artes lindas e fiel ao livro, a história em quadrinhas é uma ótima opção para iniciar no sertão de Guimarães Rosa.


Ana Karenina (Leon Tolstoi, Nova Fronteira, 2000)


Ana C: O Sangue de uma Poeta (Ítalo Moriconi, HB, 2016)


É Apenas Agitação (Nélida Capela, Telha, 2021)


Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século (Ítalo Moriconi, Objetiva, 2009)



Releituras


O Jogo da Amarelinha (Julio Cortázar, Civilização Brasileira, 1994)

A obra que inspirou este site vai do inferno ao céu rapidamente. "O Jogo da Amarelinha" narra os passos desequilibrados de Horácio Oliveira, um exilado que está em busca de algo que não é possível descrever.


Frantumaglia: Os Caminhos de uma Escritora (Elena Ferrante, Intrínseca, 2017)

Elena Ferrante é uma escritora que causa incômodo: ela não tem medo das palavras e nem das ações que pode causar no leitor, inclusive, aborda a relação de mãe e filha e/ou comportamental em todos os seus livros.


O Apanhador no Campo de Centeio (J. D. Salinger, Editora do Autor, 1990)

O livro que influenciou e marcou gerações de leitores com sua visão crua da adolescência com um humor feroz e anárquico. Um livro que todo adolescente deveria ler.


Submarino (Joe Dunthorne, Record, 2010)

Oliver Tate é um adolescente precoce que tem o objetivo de descobrir o que há por trás do instável casamento de seus pais, desvendar Jordana, sua primeira namorada, e entender qual é o seu lugar no universo.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page