• Michele Costa

Os 10 melhores singles de 2021

O ano é 2021: falta de perspectiva para o futuro, continuação de um isolamento que parecia infinito, início do avanço da vacinação, trazendo uma luz acesa no fim do túnel. Para aliviar as dores e animar os dias que pareciam iguais, novas músicas foram feitas. Mais uma vez, a arte acabou salvando a existência - para confirmar, os 10 melhores singles lançados durante este (infinito) ano.


"Crash" - Juçara Marçal

Com composição de Ogi, "Crash", canção que antecedeu o lançamento de "Delta Estácio Blues" (QTV, 2021), Juçara Marçal dá o seu grito de vingança em um ano conturbado. "Eu faço tudo pra não entrar numa guerra / Mas se entrar não vou parar de guerrear / Ninguém mandou você vir me aperrear / Vai tomar madeirada!", canta inflando os pulmões. Ao lado do parceiro de longa data, Kiko Dinucci, a artista misturou o rap e punk, compartilhando, mais uma vez, sua potência. Juçara está pronta para a guerra.


"Vai" - Jair Naves

"A gente custa a crescer / Se recusa a entender / Eu fui até onde eu pude / A essa altura, ter razão / Não me traz alívio algum / Não me traz conforto algum", recita Jair Naves. Lançada no primeiro semestre deste ano, "Vai" é uma das canções mais melancólicas e bonitas que o músico já lançou. A canção reflete o momento político que estamos atravessando, contudo, é possível aplica-la em um término de um relacionamento e/ou o ponto final em algo - seja ela consistente ou não.


"Merthiolate" - Pedro Cassel & Letrux

Após lançar o belíssimo "Abrir" (Escápula Records, 2020) no ano passado, Pedro Cassel retorna com a sua beleza no single "Merthiolate", baseado no poema de Bruna Beber. Ao lado de Letrux, a canção se desmancha no ar, ecoando nos ouvidos do ouvinte, causando diversos sentimentos. [Confira a conversa com Pedro, onde ele fala mais sobre a canção e tantos outros assuntos]


"Nada Se Repete" - Teago Oliveira

Durante o isolamento social, Teago Oliveira refletiu sobre o ciclo da repetição da vida, resultando "Nada Se Repete" (Deck, 2021) canção que enfatiza que as pessoas não se repetem, são seus comportamentos viciosos que se repetem.


"Mutante" - MEL

As transformações de MEL são evidentes: após anos ao lado da Banda Uó, a cantora e compositora deu start para sua carreira solo no ano passado, mostrando toda sua mutação. Esse ano, MEL deu uma nova cara para "Mutante", canção de Rita Lee e Roberto de Carvalho. A canção é a primeira de uma sequência de releituras de músicas que foram trilhas e referências durante sua trajetória. [Confira na íntegra as demais mutações de MEL]


"Eu Tenho Medo do Silêncio" - Apeles

Até onde o silêncio pode chegar? Qual o momento em que ele fica insuportável? Em "Eu Tenho Medo do Silêncio", Apeles canta sobre uma falsa de esperança compartilhada entre nós. A interpretação de Caroline Zitto, no clipe, enfatiza que o silêncio que sai da boca, em alguns momentos, é obscuro - porém, pode mudar com o passar do tempo, como o artista refletiu.


"Mesmo Tudo" - Marinho

O vazio e o leve da banda Marinho cabe mesmo tudo, nome do último single lançado. Em uma conversa (que mais pareceu uma sessão de terapia com assuntos leves e pesados), Rodrigo, Victor e Joaquim passaram pelo luto, chegando a falta de controle sobre nossa vida e a vida de quem está ao nosso redor. "Mesmo Tudo" mostra que a Marinho está prova para levantar novos voos.


"Lost in Translation" - Marcelo Segreto

Inspirado no filme de Sofia Coppola, "Lost in Translation" apresenta o próximo EP de Marcelo Segreto, intitulado "Cinemúsicas". Durante a quarentena, o músico se inspirou em seus filmes preferidos para compor novas canções. No ano passado, Marcelo conversou com o Desalinho sobre "América, América", seu primeiro EP.


"Valente" - Arthur Nogueira

É difícil escrever sobre as canções de Arthur Nogueira: o artista carrega tanta poesia e simbologias que é possível afogar em seu mundo. Inclusive, mundo que está sempre em transformação - nunca é o mesmo, muda todos os dias. "Valente" é a prova do que escrevo, o single propõe uma viagem poética, partindo do Pará para, enfim, chegar em Berlim, seu destino final. Uma viagem bonita, poética, sufocante e necessária.


"Hardcore Brasileiro" - Chinaina

Não é de hoje que Chinaina diz que o frevo é o verdadeiro hardcore. Após resistir durante dois anos mortos, recentemente, o músico lançou o primeiro single, "Hardcore Brasileiro", um dos sucessos de sua primeira banda, Sheik Tosado, com uma nova vibe, gravada com uma orquestra de frevo. O resultado ficou belíssimo, mostrando que carnaval é punk!


49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo