• Michele Costa

Impressões: Cria

O preto e branco se mistura com as quatro cores - amarelo, vermelho, rosa e azul -, trazendo a essência da cantora. A urbanização de São Paulo faz contraste com os tons de cores, equilibrando a arte. A capa de "Cria" (YB Music, 2022) mostra Eva Figueiredo leve e dançante, uma artista que pisa forte com seus dois pés no chão para, em seguida, apresentar suas canções ao público.


O título do álbum vai além da música, "Cria" vem do criar seu filho, criar uma canção e criar mundos poéticos, que fazem parte de Eva. Através de sua realidade, suas vivências, sua maneira de pensar e sentir, conhecemos a cantora, clarinetista e compositora. ""Cria" não é um disco sobre militância, é sobre eu mesma, sobre criar. Criar meu menino e criar tantas outras coisas que a gente cria: canções, utopias, amores. E eu sinto que tudo isso também faz resistência poética e musical que age concretamente no mundo", explica. Ao ouvir Eva, o caos do mundo vai diminuindo e voltamos a sorrir.


Leia também:

Impressões: Nem Sinal de Asas

Ciro Belluci: "O disco é um retrato do que tenho e do que sou"

Quarteto Pizindim: o choro da Zona Leste


Com 11 músicas que variam entre a calmaria e ruídos, "Cria" mistura brincadeiras com samba, o tango com o pandeiro e o futebol com o choro do bebê. "Torvelina", lançada este ano, abre o álbum. Em seguida, vem "Carnaval" que mistura elementos da mpb com o funk, fazendo a madame perder a linha (como dia a letra). "Erre", terceira canção, é engraçada e inteligente: Eva brinca com a palavra é, que surge com dois r. "Coração Vagabundo" ganha uma nova roupagem: a música começa calma, mas ganha força com a violenta bateria.


"Samba da Utopia" traz esperança ("Se o mundo ficar pesado / Eu vou pedir emprestado a palavra poesia"). Já em "Cor Financiado", ouvimos Eva se diluindo com efeitos sonoros. "Canção Primeira" traz o tango a la brasileiro. "Futebolista" é uma crônica com voz, violão e guitarra (uma das preciosidades do álbum). A penúltima música, "Dona Fia" coloca o ouvinte para dançar com o pandeiro que se destaca. "Aboio" fecha o disco. E é assim que conhecemos a personalidade realística e sonhadora de Eva Figueiredo.



Permita-se navegar no mundo da artista que estará disponível na quinta-feira, 7 de julho, em todas as plataformas.

64 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo