• Michele Costa

hoovaranas: a sirene ligada por 43 minutos

"Alvorada": 1. Crepúsculo matutino. 2. O início da vida. 3. Mil Toque nos quartéis, de madrugada, para acordar os soldados. Essas são as definições encontradas no dicionário Michaelis para a palavra que também leva o nome do segundo álbum do trio paranaense, hoovaranas.


Formado em 2018 por Rehael Martins, Eric Santana e Jorge Bahls, hoovaranas transformam suas inspirações, vivências e indagações em math rock, jazz, rock progressivo, shoegaze e psicodelia. Após "Poluição Sonora", lançado no ano seguinte da formação, a banda surge com "Alvorada", um disco amadurecido, onde a sirene é ligada, pedindo passagem para ser tocada e sentida pelo ouvinte.


Em 10 faixas que variam entre dois a quase nove minutos, sem nenhuma palavra pronunciada, a banda (re)cria imagens e colagens sonoras para que o público interaja com a guitarra, baixo e bateria - é possível se afogar nos diversos sentimentos que surgem rapidamente. "Esse disco vem com uma pegada totalmente diferente do primeiro. Trouxemos um som muito mais trabalhado e sóbrio. A vibe do álbum é um lance da juventude, da superação, da coragem de abrir os olhos pra seguir em frente", comenta o baterista, Eric.


Leia também:

O carnaval da vingança de Chinaina

Memorandos de Taco de Golfe

A psicodelia de Jedias Hertz


A banda surgiu em 2018. Qual a história, como ela surgiu?

Nós já éramos amigos antes de começarmos a tocar juntos. O Eric (baterista) ganhou uma bateria em 2015, logo depois, o Rehael (guitarrista) trocou um videogame pela sua primeira guitarra - com isso, o Eric e o Rehael começaram a se encontrar para ficar improvisando por horas seguidas, mas apenas pela diversão. Em 2017, o Jorge (baixista) ganhou um baixo e começou a tocar, então isso já foi um gatilho para a formação do nosso trio.

Começamos apenas tirando jams instrumentais, mas ainda assim queríamos achar algum vocalista na época. O tempo foi passando e a gente começou a tocar em alguns bares apenas pela experiência, até que enfim resolvemos fechar o projeto de vez, sendo uma banda instrumental, pois já estávamos muito familiarizados com o estilo e queríamos formar algum projeto juntos.


De onde surgiu o nome? Existe algum significado?

O nome "hoovaranas" é uma homenagem à Uvaranas, um bairro da nossa cidade, Ponta Grossa, interior do Paraná. Além de Uvarana ser uma planta que é facilmente encontrada na região. Foi no bairro de Uvaranas que começamos a banda.


As canções mesclam diversos gêneros musicais. Quais são as influências da banda que determinaram esse som?

Nossa banda tem influência de vários estilos musicais, mas com certeza, no início, nós queríamos fazer um som mais psicodélico, inspirado em Pink Floyd, Tame Impala, Boogarins, mas sempre com algo que deixava o som mais pesado, pois gostávamos muito de Stoner Rock. Hoje podemos dizer que todos nós ampliamos as nossas referências musicais, isso porque começamos a conhecer cada vez mais o mundo da música instrumental, ouvindo mais artistas do jazz, math-rock, música brasileira, entre outros estilos em que são muito valorizados os detalhes das músicas.


"Poluição Sonora" foi o primeiro álbum de vocês. Agora, vocês estão lançando “Alvorada”. Quais foram as mudanças do primeiro projeto para o segundo? Os processos continuam os mesmos?

As mudanças do primeiro álbum para o segundo foram imensas. Nós fizemos um trabalho muito mais detalhado em cada música, tanto é que ficamos quase dois anos pré-produzindo esse novo disco. Outra mudança foi a gravação, pois tivemos muito mais tempo para gravar as músicas, diferente do "Poluição Sonora" que gravamos tudo em apenas um dia; e nesse nós tivemos quatro dias para aprontar tudo no estúdio e tocar música por música até que ficassem "perfeitas".

Nós temos um processo de criação parecido com o que tínhamos no primeiro disco, mas sentimos que dessa vez tínhamos muito mais certeza do que estávamos fazendo, pois estamos bem mais acostumados a fechar nossas obras e sabemos em qual parte delas trabalhar.


Apenas os instrumentos são tocados nesse álbum. Existe algum conceito na criação da narrativa das músicas?

Nós decidimos o conceito por trás das músicas assim que fechamos elas. Quando elas estão prontas a gente para pra ouvi-las e começamos a perceber o sentimento que ela passa ao todo - por exemplo, na música "Limbo" são apenas dois acordes que se repetem, mas a dinâmica vai mudando com o tempo e o final dela é apenas como se ela fosse se perdendo nela mesma, e por isso veio o nome, onde ela é algo que se repete, de novo e de novo, sem fim. Essa é a maneira que a gente analisa a obra normalmente, sempre tentando explicar o que aconteceu na sua formação.



"Coragem" foi o primeiro single lançado do novo álbum. Queria que vocês contassem mais sobre o seu processo: do título ao clipe.

O título "Coragem" foi dado pelo Rehael, que escolheu esse nome porque a música passa uma crescência que eleva o ouvinte. Ela começa lenta e aos poucos vai ganhando um corpo cada vez mais agitado, e no final você encontra um momento calmo, mas diferente do início que ainda não tinha um corpo.

Sobre a produção do clipe, nós convidamos a fotógrafa Jhuly Vieira e a artista visual Vanessa Pereira para fazer a produção e captação das imagens do clipe. Nós também emprestamos roupas de um brechó daqui da cidade (Ponta Grossa/PR) chamado de "Ummagumma Brechó" para usar como figurino. Reservamos uma tarde em um estúdio (Estúdio Jardim Piralinda e os Pássaros Alternativos) para fazer um cenário lá dentro e gravar nós tocando em cima da música. Usamos luzes, projeções em cima de nós e até mesmo gelo seco no local, tudo para deixar o lugar mais diferente possível.

O plano era usar apenas imagens desse dia no clipe, mas alguns dias antes nós tínhamos feito um ensaio fotográfico com a Vanessa e a Jhuly, e percebemos que as fotos e vídeos que fizemos no dia desse ensaio de fotos combinavam muito com a vibe do clipe, então resolvemos adicionar. A parte da edição do clipe ficou por conta do Eric Santana e da Vanessa Pereira.


Em quatro anos de existência, hoovaranas segue seus princípios, compartilhando seus sentimentos intensos neste país com o ouvinte. Em uma época em que energia e coragem são necessárias, o trio entrega o que precisamos. As palavras de Bruce Springsteen são certeiras neste momento: "O maior desafio... é manter-se fiel ao próprio idealismo depois de perder a inocência." - e assim o trio segue.


"Alvorada" e "Poluição Sonora" estão disponíveis em todas as plataformas de músicas.


32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo