Foram mais de quinhentos dias trancafiados em casa por conta da pandemia. Em um ano e meio, o indivíduo pode passar por muitas coisas - assim, como a fase do luto: negação, aceitação, raiva, desespero e tantos outros sentimentos, porém, não necessariamente nessa ordem. Algumas pessoas conseguem transformar isso em algo, seja uma canção, uma melodia, um livro ou até mesmo um mantra. Durante esse período conturbado, a Nightbird Records lançou a coletânea "Canções de Isolamento Volume 2". Reunindo dez artistas do Rio Grande do Norte, o selo gravou e produziu diversos ritmos, que varia entre jazz, forró, rap, pop rock e hip hop lo-fi. Houve vários critérios para seleção, desde a diversidade de ritmos até questões de gênero e raça. "Esse é um projeto para dar acesso aos artistas do Rio Grande do Norte. O objetivo é criar uma cadeia produtiva aqui no estado. Todos que estiveram envolvidos são potiguares, desde o operador de som até a pessoa que mixou e masterizou o álbum. Procuramos colocar essa diversidade, tanto em sonoridade, como em questões sociais, ao incluir músicos que fazem parte de alguma minoria", diz o produtor e curador Luan Bates. Os artistas que fazem parte de "Canções de Isolamento Volume 2" são: Lee Araújo, Luaz, Ujó, Ydna, Máquinas do Ar, Marvin, CaSilva, Nayd e Bando Baião de Nós, além das participações de Apenas Um Oliveira e André Rangel, que colaboraram com Ujó e Luaz. As faixas foram gravadas em Natal e Mossoró e todo o projeto foi auxiliado pela Lei Aldir Blanc. Com o lançamento, a Nightbird Records espera dar o suporte necessário para os músicos em questões de gerenciamento de carreira na música, desde a produção de fotos até noções básicas da indústria musical. "Canções de Isolamento Volume 2" está disponível em todas as plataformas de streaming.

Canções de Isolamento Volume 2